sábado, 18 de janeiro de 2014

Equilibrio Emocional


Já lhe aconteceu ter um determinado comportamento ou atitude e posteriormente arrepender-se? Eu já. Isto acontece quando reagimos de forma emocional, de forma automática. Uma das coisas que fazem com que nós percamos a cabeça muitas vezes é o fato de não termos controle total sobre os nossos pensamentos e ações. Sim, o equilíbrio emocional é extremamente importante para tomarmos decisões acertivas  na nossa vida. O nosso equilíbrio emocional  depende do conhecimento que temos dos nossos estados internos e da influência que estes têm sobre  nossos pensamentos, comportamentos e atitudes. Tal como um atleta de alta competição que no momento decisivo tem de saber controlar as suas emoções a favor do melhor desempenho possível, assim é na nossa vida, para que possamos desempenhar um conjunto de atividades que nos sirvam, temos igualmente de ter controle sobre  as nossas representações internas através dos cinco sentidos: visão, audição, tacto, paladar e olfato.
As pessoas não têm normalmente falta de recursos, têm sim, falta de controle sobre os seus recursos. Neste artigo tenho por objetivo explicar a forma de mudar os seu estado, para que possa produzir o que quiser e quando quiser. Este artigo ira  ensiná-lo-á a ter controle , a tirar mais proveito  da sua vida, a mudar os seus estado  as suas ações e, consequentemente, os resultados que produz no seu corpo.

DESENVOLVIMENTO DA MUSCULATURA EMOCIONAL

Nós apenas conseguimos aprender quando seletivamente e intencionalmente colocamos a nossa atenção  nos estímulos e informação que escolhemos, com base na nossa livre vontade. Como seres humanos, temos o privilégio de escolher onde colocar a nossa atenção, e durante quanto tempo.
Considere esta ideia: A realidade pode existir onde quer que a nossa mente se foque.
Por exemplo, nós conseguimos reavivar uma memória de dor, e em questão de segundos, trazê-la para a nossa vida. Nós conseguimos ainda reviver a experiência emocionalmente. Quando o fazemos, quer gostemos ou não, o nosso cérebro cria uma libertação intensa de sinais químicos para o corpo, e produz praticamente o mesmo efeito da experiência original. A nossa atenção é dinâmica. Conseguimos projetá-la para o futuro ou conseguimos transportá-la para o passado. A nossa livre atenção pode ser a nossa maior dádiva ou o nosso maior pesadelo. Consequentemente se conseguirmos desenvolver a “musculatura emocional” tal qual um atleta desenvolve os seus músculos, desenvolvemos igualmente a capacidade de atingir uma concentração focada, os nossos pensamentos podem tornar-se mais reais que o mundo externo. Como é que isto é possível?
Estamos a falar na capacidade de controlar os elementos da realidade em que nos queremos focar. Focarmo-nos em algo, tem a ver com a capacidade de fazer escolhas e tomar decisões sobre total controlo. Para tudo é necessário trabalho. É necessário criar o hábito de dirigir a nossa atenção para a informação que achamos relevante para determinada situação e depois controlá-la.

TREINAR A MUSCULATURA EMOCIONAL

Tal como quando vamos a um ginásio para desenvolver a nossa condição física e nos propomos a um trabalho contínuo, com propósito e comprometimento, é exatamente aquilo que cada um de nós tem de fazer: praticar e exercitar os poderes da concentração. Não é diferente daquilo que fazemos quando aprendemos a jogar ténis. Você nunca reparou no antebraço de um jogador profissional de ténis? O braço com que ele joga é muito mais desenvolvido que o o braço não dominante. Isso não acontece devido a nenhuma anormalidade genética, mas devido ao constante uso do braço que agarra a raquete em detrimento do outro. Nós conseguimos fazer o mesmo com a nossa mente: conseguimos praticar a capacidade atencional vezes sem conta para desenvolver o lobo frontal do nosso cérebro, para que funcione a um nível muito elevado. Nós podemos fazer com que o nosso cérebro funcione melhor, e consequentemente tomamos decisões adequadas sobre o nosso controlo.
O desenvolvimento muscular no jogador de ténis, não é para a aparência mas para ser funcional. Mais massa muscular, dá ao jogador mais capacidade e mais controlo sobre os seus movimentos. O cérebro de alguém que expandiu a sua capacidade atencional, não tem os lobos frontais maiores, mas consegue accionar mais áreas funcionais e assim trabalhar com mais eficiência. Quando nos disciplinamos e controlamos os nossos impulsos, estamos também a utilizar esta área especializada do cérebro.

CONTROLE  DOS IMPULSOS

O que é extraordinário para o desenvolvimento do equilíbrio emocional, é que o lobo frontal inibe os comportamentos fortuitos (através de um processo chamado de controlo dos impulsos), de forma que cada pensamento não provoque um ato sem previamente ter sido pensado sobre as suas consequências. Este processo certamente evitaria a todos nós muitos problemas provocados pela ausência de raciocínio lógico de grande parte das nossas acções menos ajustadas.
A reter: A expressão das nossas emoções sobre controlo e sobre a égide do raciocínio, torna-se numa vantagem para a vida de todos nós.
Um reduzido nível de atividade no lobo frontal conduzirá a um fraco controlo sobre  as emoções e comportamentos impulsivos, o que provocará uma excessiva ativação da amígdala, que por sua vez provocará elevados níveis de reação emocional e tomada de decisão impulsiva. Tal como ocorre num ataque de pânico. O desenvolvimento da musculatura emocional e consequente fortalecimento do foco atencional, permite-nos tomarmos decisões que suportam os nossos desejos em relação a um determinado objetivo. Quando temos um elevado equilíbrio emocional, os nossos comportamentos correspondem ao nosso propósito, e as nossas acções correspondem às nossas intenções. A nossa mente e corpo são apenas um.
Quantas vezes os nossos comportamentos e propósito correspondem completamente? Quão frequentemente damos por nós em disputa com as nossas intenções e ações?
“Eu pretendo voltar a estar em forma novamente, e correr 5km todos os dias. Eu tenho intenção de deixar de beber refrigerantes com açúcar. Eu tenho intenção de ser mais paciente com os meus  amigos, familiares e colegas de trabalho. Eu tenho intenção de perder 10kg até ao final do ano.”
Existe uma expressão que reflete este pensamento: O nosso ego por vezes passa cheques que o nosso corpo não pode pagar. Bem, o ego está simplesmente a seguir ordens da nossa mente, por isso devemos colocar o fracasso/falha exatamente onde pertence: Na nossa força de vontade para agir. Por vezes não seguimos em frente porque nós simplesmente “não sentimos isso.” Quando deixamos os nossos sentimentos tomarem o controle
, a nossa mente “adormece”, e fazemos correr o programa automático, reagindo todos os dias à constante tagarelice na nossa cabeça. O desenvolvimento da musculatura emocional, através do treino do lobo frontal, pela acão da atenção intencional, permite-nos silenciar o diálogo interno que nos retira as aspirações e elevação.
A reter: A ferramenta a treinar, é a capacidade de dirigir intencionalmente a nossa atenção para os nossos estados internos (pensamentos, sensações corporais, sentimentos, emoções) e controlá-las de forma a alterarmos o nosso estado,

COMO CONTROLAR O NOSSO ESTADO EMOCIONAL?

Para cada pensamento existe um determinado estado interno que é gerado (batimento cardíaco acelerado, fluidez de pensamento, aumento da temperatura corporal, tensão muscular aumentada,  entre outros), estes sintomas, representam a preparação do corpo para a ação. Se atentamente não nos percebermos destes estados, eles vão gerar atitudes e comportamentos automáticos, irão formar uma resposta emocional, na maioria das vezes de forma impulsiva e pouco inteligente. Em contraste quando conseguimos construir uma representação interna ou conceito das nossas intenções, independentemente dos fatores externos, a nossa mente irá tornar isso real, e produzir um “estado de ser” que se comporte em consonância. Este poder intencional é aquilo que admiramos nas pessoas que consideramos extraordinárias, nas pessoas que consideramos como nossos heróis.
“Nada tem mais poder sobre mim do que aquele que eu atribuo aos meus pensamentos conscientes.” Anthony Robbins para um estado de recursos tal que possamos agir de acordo com as nossas intenções
Wiilliam Wallace, Martin Luther King, São Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, eram todos mestres do controlo emocional, tinham todos o lobo frontal muito desenvolvido. Conseguiam manter um elevado foco nas suas intenções: princípios de liberdade, não violência, honra, amor. Nunca se afastaram desse ideal, independentemente das dificuldades que enfrentavam.
Todas estas pessoas extraordinárias tinham a capacidade para intencionalmente tornar um ideal tão real, que através da sua constante atenção num conceito particular,  tornavam-no mais importante do que a necessidade dos seus corpos, das suas condições de vida ou até da concepção de tempo. Tal como um atleta que persegue o sonho de ser medalhado, participar nos Jogos Olímpicos, ou ganhar um campeonato, propondo-se para o efeito levar o seu corpo ao limite. Apenas o seu ideal ou sonho conta. Nada os impede de perseguirem o seu propósito.
A reter: O principio para desenvolver o equilíbrio emocional, é  a capacidade para focar intencionalmente todos os recursos do organismo no propósito que pretendemos alcançar.

COMO TRABALHAR NO EQUILÍBRIO EMOCIONAL

Quando os seres humanos querem mudar algo, normalmente querem uma de duas coisas ou ambas: como se sentem, isto é, o seu estado e/ou como se comportam. Por exemplo: é frequente um fumador querer mudar a forma como se sente física e emocionalmente (estado) e também o seu padrão de comportamento no que diz respeito a fumar cigarros atrás de cigarros. O nosso comportamento é o resultado do estado em que estamos. O equilíbrio emocional é também um estado. Se você pudesse estalar os dedos e entrar no estado mais dinâmico e com maior quantidade de recursos disponíveis, um estado no qual está excitado, seguro do seu sucesso, o seu corpo está a vibrar de energia, a sua mente está viva? Bem, mas pode.
A maioria dos nossos estados acontece sem qualquer ordem consciente da nossa parte. Vemos algo e reagimos a isso entrando num determinado estado. Pode ser um estado com muitos recursos e útil ou em estado sem recursos e limitador, mas a maioria de nós não faz praticamente nada para controlá-lo. Quase tudo na vida que as pessoas querem é um estado de possibilidade. Faça uma lista das coisas que quer na vida. Quer amor? Bem, o amor é um estado, um sentimento ou emoção que comunicamos a nós próprios e sentimos dentro de nós próprios com base em certos estímulos do ambiente. Confiança? Respeito? são tudo coisas que criamos. Produzimos estados dentro de nós. Talvez queira dinheiro. Bem você não quer propriamente pequenos pedaços de papel adornados com diversas cores e símbolos, você quer aquilo que o dinheiro representa para si: amor, confiança, liberdade, calma, segurança, ou qualquer outro estado que o dinheiro possa ajudar a fornecer. Assim a chave para o equilíbrio emocional, a capacidade para ter aquele poder que o homem busca à anos: a capacidade para dirigir a sua vida – é a capacidade de saber dirigir os seus estados.



A chave para produzir os resultados pretendidos, é representar as coisas para si de uma forma que o coloque num estado com tantos recursos que você fica habilitado a empreender os tipos de qualidades de ações que criam esses resultados. A diferença entre as pessoas extraordinárias atrás referenciadas e outras pessoas é que eles representam o mundo como um lugar onde podem produzir qualquer resultado que desejam profundamente.

TOME O CONTROLE DAS SUAS AÇÕES E CONSEQUENTES ESTADOS

A vida é como um rio, está em movimento, como verificámos no exemplo do equilibrista. Você pode ficar à mercê desse rio se não empreender ações deliberadas e conscientes para se guiar a si próprio numa direção que predeterminou. Se não plantar as sementes mentais e fisiológicas dos resultados que deseja, as ervas daninhas crescerão automaticamente. Se nós não dirigirmos conscientemente a nossa própria mente e estados, o ambiente em que vivemos pode produzir estados acidentais indesejáveis. Os resultados podem ser desastrosos. Assim é vital que, diariamente, estejamos atentos à nossa mente, que saibamos como é que, de uma forma consciente, estamos a representar as coisas para nós.
Lembre-se, de acordo com a psicologia positiva, temos sempre uma escolha acerca de como representamos as coisas para nós próprios. Se você cria uma representação em que a pessoa que ama o está a enganar, rapidamente se encontrará num estado de raiva e fúria. você não tem qualquer prova de que isso é verdade, mas experimenta-o no seu corpo como se fosse, de forma que, quando a pessoa que ama chega a casa, você está desconfiado ou zangado. Neste estado, como é que trata a pessoa que ama? normalmente não muito bem, certo? Pode agredi-la ou atacá-la verbalmente, ou simplesmente sentir-se mal internamente e criar um outro comportamento de retaliação mais tarde.




Lembre-se a pessoa que você ama pode não ter feito nada, mas o tipo de comportamento que você produz a partir desse estado vai provavelmente fazer com que ela queira estar com outra pessoa. Se for ciumento, você cria esse estado. A alternativa é você alterar as imagens negativas em imagens construtivas, por exemplo, ver a pessoa que ama a esforçar-se por chegar a casa. Este processo de criar imagens positivas colocá-lo-á num estado em que, quando a pessoa chegar a casa, você vai comporta-se de uma maneira em que ela vai sentir-se desejada. Podem existir situações em que a pessoa amada pode estar a fazer aquilo que você imaginou, mas para quê desperdiçar um conjunto de emoções antes de ter a certeza? A maioria das vezes é muito improvável que não seja verdade, no entanto, você deu origem a imensa dor, e para quê?

RESUMINDO

Se assumirmos o controlo sobre a comunicação que mantemos conosco próprios e produzirmos estímulos visuais, auditivos e cinestésicos daquilo que queremos, podem obter-se resultados positivos extraordinários, mesmo em situações em que as probabilidades de sucesso parecem limitadas ou inexistentes 








sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Carência afetiva : Como Lidar

A carência afetiva é um mal que atinge todas as faixas etárias, culturas e classes sociais. É pior que a gripe, que vem e vai embora, ou uma doença que mata de vez. É um mal que consome as pessoas devagarinho.

A indiferença da sociedade atual face aos problemas do mundo, faz com que as pessoas sintam-se sozinhas e carentes. Preferimos fechar os olhos ao que se passa ao nosso redor (e mesmo fora dele!) do que enfrentar a realidade da vida dos outros, dos seus problemas. Há cada vez mais pessoas solitárias enquanto a população cresce.


As pessoas têm sede de amor. O problema é que raramente querem ser fonte. E nessa engrenagem há muita gente infeliz. Então, corre-se de um lado para o outro, alguns tentam achar compensação a nível profissional, outros em religiões, crenças e seitas.


A internet também faz parte desse mundo. Fecha-se aqui, procura-se amores, amizades e certezas de que alguma coisa ainda existe capaz de compensar a falta de afeto. E enganam-se. Enganam-se os outros e a si mesmo.


Quando Jesus andou na terra, tenho certeza que não precisava de nada. Ele era auto-suficiente. Apesar disso, viveu tudo: Ele andou, trabalhou, se entristeceu, chorou, sentiu fome, angústia, dor, morreu e ressurgiu. E vivendo tudo isso, amou. Amou até o fim, até pedir perdão para os que o crucificaram. E tudo o que Ele viveu, foi para nos mostrar o exemplo. De nada serviria se Ele tivesse pregado e não vivido as próprias palavras. Como nós. Mais que falar, precisamos viver.


O dia que as pessoas compreenderem que a solução está dentro delas mesmas, então o mundo terá uma chance de sair desse caos. Se você quer ser amado, ame! Quer receber um sorriso? Sorria! Quer receber e-mails? Mande! Quer carinho? Dê ternura até não aguentar mais. Quer atenção? Seja atencioso!


Talvez não funcione imediatamente. É um remédio que precisa de um tempo para começar a fazer efeito. Mas, quando você estiver curado interiormente, vai ser outra pessoa, de maneira tal que será impossível não receber de volta a felicidade que espalhou. Temos a mania de querer comprar tudo. Mas, muitas coisas da vida precisamos plantar, cuidar e colher com nossas próprias mãos. Nem tudo se vende e se compra e afeto faz parte dessas raras coisas.


Não amamos a Deus por que Ele nos amou primeiro? Então, vivamos de maneira que possamos ser os primeiros a dar afeto, amor, atenção. Sejamos os antídotos do ódio e da indiferença. Tudo o que virá após, será compensação. Estaremos contribuindo assim para uma sociedade mais humana, mais justa e mais

Curar os nossos relacionamentos





Curar nossos relacionamentos é a nossa própria escolha, já que na verdade não são os outros que estamos perdoando realmente.

São apenas nossas próprias atitudes e julgamentos a respeito deles que precisam ser perdoados.

São os nossos pensamentos e julgamentos hoje, e não mais a outra pessoa, que nos causam dor no presente.

E já que estes pensamentos e julgamentos são nossos, apenas nossos, somos nós que precisamos nos empenhar em perdoar, em mudar nossa mente e nos libertar das queixas passadas.

É POSSIVEL CURAR TODOS OS RELACIONAMENTOS?

Sim!

É possível curar não apenas alguns, mas todos os nossos relacionamentos.

Podemos fazê-lo desistindo de qualquer forma preconcebida, ou dos roteiros mentais que tenhamos escrito sobre os outros...

Podemos fazer isso nos dispondo a acabar com todas as queixas e pensamentos de agressividade.
E podemos fazer isso por meio do processo do perdão...

* Reconhecendo que não somos vítimas dos nossos relacionamentos e, sim, participantes deles.
* Optando por ver os outros como seres que nos amam ou, caso os percebamos como nossos agressores, optando por vê-los como seres cheios de medo.
* Lembrando que aquilo que percebemos nos outros e no mundo exterior é uma projeção dos pensamentos - quer positivos quer negativos - contidos em nossa mente.
* Tornando-nos "buscadores de amor" em vez de "buscadores de defeitos".
* Direcionando a nós mesmos e escolhendo ser interiormente pacíficos, não importando o que esteja acontecendo fora de nós..

Podemos começar a reconhecer que a cura dos nossos relacionamentos está diretamente ligada à Cura das Atitudes que estamos conservando em nossa mente a respeito desses relacionamentos.
AFIRMAÇÕES
1 - Escolho curar meu relacionamento comigo mesmo deixando que o hábito de julgar a mim mesmo se vá.

2 - Escolho unir-me aos outros, em vez de me separar deles, abandonando meus julgamentos sobre eles.

3 - Escolho rasgar todos os roteiros que escrevi para o modo como acho que as pessoas deveriam ser em minha vida.

4 - Escolho lembrar que o que realmente conta em meus relacionamentos não é quanto eu faço ou digo..., mas sim com quanto amor eu faço ou digo.

5 - As palavras que eu escolho em minhas comunicações sempre determinam se minha intenção é unir ou separar.

6 - Hoje, eu escolho lembrar-me de que realmente mereço o direito de ser feliz.

7 - Hoje, eu escolho desistir de me sentir uma vítima dos meus relacionamentos e assumirei a responsabilidade por minha vida.

8 - Sempre que ficar preso no passado ou no futuro, escolherei lembrar-me de que o amor só pode ser vivenciado no presente.

9 - Posso optar pelo amor em vez do medo, em todos os meus relacionamentos.


"O inimigo não está a nossa frente, mas dentro de nós.
Defesas refletem feridas.
Ataques são gritos por amor.
Relacionamentos são uma oportunidades de saber quem somos". verdade mora no lado de dentro

Se você desejar viver um relacionamento amoroso verdadeiro, precisa buscar a verdade dentro de você. Com coragem para olhar para si e reconhecer o que esteve guardando todo esse tempo.
É como fazer uma faxina, quando tudo está aparentemente arrumado e limpo. À medida que vai tirando os móveis do lugar, abrindo gavetas, vasculhando armários, parece que tudo se transforma numa grande confusão. As paredes apresentam manchas, rachaduras, o pó se acumula sob os tapetes, tudo fica fora da ordem.
Da mesma forma, entrar em contato com as emoções e crenças enraizadas no mundo interior,  costuma trazer a sensação de confusão e desconforto.
Antes de saber o que fazer - e como fazer - para curar a sua vida amorosa, você terá que examinar tudo o que encontrar nessa busca.
Se passar por esse processo com aceitação, se observando sem se julgar, entrar em culpa, remoer o que já passou, estará se dando um grande presente. O presente do acolhimento de quem você é, exatamente da forma como é, sem se negar ou se justificar.
Então, já não agirá movido(a) pela carência ou pelo desejo de encontrar alguém que tome para si a tarefa de cuidar de você. Compreenderá que você tem capacidade de satisfazer as suas necessidades.

Deixando-se guiar pelo auto-amor

Na verdade, a única pessoa que poderá lhe dar tudo aquilo que você deseja é você mesmo(a).
Ao estar em contato com os seus sentimentos, sem negá-los, aceitando o próprio medo, a vergonha, a culpa, a insegurança, o que quer que encontre dentro do seu coração, tudo mudará à sua volta.
Descobrirá que todas as suas experiências podem se tornar ferramentas para a sua felicidade. Enfim, você vai se dar conta de que o amor que esteve procurando se encontrava todo o tempo, dentro do seu coração.
Um amor por você, que alimenta a autoestima e não deixa que você aceite menos do que merece.

Quando o Amor Faz Mal – Relacionamentos do Tipo Preciso Te Curar



 
Existem certas pessoas que aprenderam que amar é sofrer. Relacionamentos para elas se dão a base de muita adrenalina e crise. Urgência é a palavra de base.
Esse tipo de pessoa vai procurar relações com outras pessoas difíceis e dependentes. Ele é o sustentador  no sentido literal da palavra. Tenta curar-se através da cura do outro.
Pessoas com essa disposição emocional vão procurar pessoas difíceis, dependentes e principalmente comprometidas. Essas pessoas tem muita dificuldade de se entregar em uma relação aberta e de crescimento mútuo, por isso vão à procura de relações problemáticas onde possam permanecer em sua dor e solidão. Na verdade essas pessoas se negam a relação, elas procuram uma “não relação”.
Essas pessoas se caracterizam por uma forte teimosia em se manterem ali, naquele sofrimento e por mais que tudo testemunhe contra a relação, elas permanecem ali, sofrendo, prostradas, destrutivas, indo com toda a força contra a realidade e se prestam a expectativas mágicas de que a pessoa vai mudar por um toque de cristo, fadas ou budas, sem que a própria pessoa queira mudar. Essas pessoas são adictas de paixões negativas e vivem desse vício.
 
 
Uma característica desse tipo de pessoas é o super controle. As coisas tem que ser do seu jeito e se consideram acima de qualquer realidade ou vontade do outro. Ela decide que a única realidade é a sua própria vontade e sua opinião. Por mais que o outro diga que não vai mudar, recuse-se ao diálogo, a pessoa fecha-se em seu mundo e recusa-se a enxergar o ponto nevrálgico da relação e de si mesmo.
Quando essas pessoas conseguem ver que somente ao curar-se é que terão uma chance, muitas vezes já é muito tarde, já estão tão enfraquecidas que já adoeceram gravemente,  fisicamente falando.
Esse tipo de emoção confundida com amor mata.
É importante lembrar que o amor é bom, faz crescer e acima de tudo liberta. Quanto mais patológica é uma relação mais amarrada ela é, ou seja, mais difícil de viver livre e independente do outro se torna. Amor de verdade é a capacidade de compartilhar de saber que eu vivo muito bem sem aquela pessoa, mas eu escolho viver minha vida com aquela pessoa.
Lembre-se: amor é liberdade, doença é aprisionamento e necessidade.




O namoro e a Cura Interior

 

 
 
Muitos casais têm problemas no namoro que estão relacionados à alma. Recentemente ao atender um casal, o rapaz me falou que ambos buscaram ajuda profissional para os problemas que tinham no convívio, procuraram um psicólogo cristão e o rapaz contou que a cada sessão ele percebia que o tratamento não estava relacionado com o namoro, mas tratava seus traumas de infância e problemas do passado.
Da mesma forma temos levado para o namoro situações mal resolvidas, traumas e feridas da alma, que se não forem tratados desde já podem interferir de uma forma negativa no futuro do namoro.
Como identificar que meu problema é na alma?
Existem algumas características que ajudarão a identificar isso:
  • Histeria: a pessoa não consegue conversar em um tom normal, tudo toma
uma proporção, vira escândalo e gritaria.
  •  Temperamento descontrolado: a pessoa não tem controle de suas emoções, quando está triste se isola entra em depressão, a alegria é substituída por uma euforia, compra sem ter dinheiro, promete coisas das quais é incapaz de cumprir.
  •  Possessividade: considera o namorado como um objeto seu e não uma oportunidade de servir a Deus por meio de algo que é Dele.
  • Paranoia: “vê cabelo em ovo”, suspeita sem razão da outra pessoa, passando a vigiá-la de forma sufocante.
Pessoas que apresentam pelo menos uma dessas características mostram sentimento e situações que vão muito além do namoro, talvez seja uma traição anterior, um trauma na família, uma decepção do passado, carências ou más influências. No entanto, elas acabam invadindo o relacionamento e por isso precisam ser tratadas.
O que fazer para vencer nessas áreas e como o namoro pode colaborar para isso?
O primeiro caminho é o da santificação no qual o Espírito Santo imprime em nós o caráter de Cristo. Para isso, são necessárias algumas ações práticas:
  •  Oração: orem juntos, usem a oração como um escudo de proteção para o namoro;

  • Busque se conhecer: encare quem você é, não fuja do confronto, busque ajuda se necessário, em nossa igreja temos vários ministérios como o “Rhema” e o “Restaurando Vidas” que podem ajudar.
  •  Ouvir mais: Geralmente no namoro só queremos falar de nossos problemas, mas seria bem melhor se deixássemos fossemos mais dosados, certamente o seu namorado tem algo a dizer também, ele convive bastante com você e pode mostrar algo que, às vezes, fogem da sua percepção.
  •  Identifique o problema e o ataque: identificado o problema é hora de atacá-lo, libertação, orientação com um psicólogo cristão, estudo da Palavra, discipulado com um líder de Célula, vida devocional, são várias as estratégias para vencer problemas na alma. Talvez você terá que usar mais de uma delas, o namorado pode ajudar, mas o ideal é que em determinados momentos fique na mão de um especialista para que não haver confusão.
  •  Aja por áreas: Se você tentar resolver tudo de uma vez, não vai resolver nada. Peça ao seu namorado para te ajudar a identificar de uma a três áreas que mais urgentemente precisam de ajuda, invista intensamente nelas até que sejam restauradas para então acrescentar novas áreas.
  • Não tenha medo de encarar áreas obscuras de sua mente: muitas pessoas fogem do tratamento assim que certas coisas ocultas começam a aparecer, não tenha medo, encare o desafio;
  •  Perdoe e peça perdão: muitos problemas de alma envolvem falta de perdão. Perdoe quem o ofendeu e peça perdão a quem você ofendeu, principalmente se for um familiar de forte convivência ou o próprio namorado ou namorada, esse é o começo da cura.
Enfim, nem sempre o namorado é a pessoa adequada para ajudar você nesse processo. Ele pode sim ser um apoiador e esteio, porém em certos casos você precisará de ajuda pastoral e psicológica (insisto: dê preferência para um psicólogo cristão). Não deixe o tempo passar e essas coisas ficarem escondidas e incubadas em você, se é um probleminha no namoro pode se tornar um problemão no casamento.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Atelier Amor Perfeito.

vida é feita de surpresas onde sua missão é viver, alguns momentos podem durar tão pouco e ficar na sua memória por muito tempo, algumas pessoas podem fazer muito pouca parte da sua vida e ser considerada pra sempre. Imagino um dia em que todas as pessoas tivessem o direito de ser feliz, mesmo que seja só por um momento, para ter a oportunidade de sentir o que realmente desejam e acreditar que sonhos não são bobagens. as vezes você percebe que as aparências enganam e você pode sofrer muito com isso !O tempo é uma coisa que não permite voltar para trás, então só se arrependa do que você não fez, aproveite cada segundinho da vida , pra ficar guardado eternamente em sua memória.
 
Com o tempo a gente aprende que errar é humano, que todos nós erramos e que as vezes mesmo certos temos que abaixar a cabeça e pedir desculpa; E que as vezes é preciso ouvir o que as pessoas tem a dizer; Com o tempo aprendemos a jogar nessa vida, aprendemos que a cada tombo é preciso levantar de cabeça erguida; Aprendemos que nem todas as manhas são de sol, e que nem sempre tudo na vida é como nós queremos; Com o tempo conhecemos pessoas, e descobrimos sentimentos; Com o tempo aprendemos a dar valor a cada segundo que temos, pois aprendemos que em um segundo tudo pode mudar; A vida passa e descobrimos quem são nossos amigos verdadeiros; e as vezes que pessoas desconhecidas te valorizam mais, do que as que estão todos os dias com você; Com o tempo a gente erra mais tambem acerta e mais cedo ou mais tarde, a gente aprende que temos que aceitar cada um como é. E que ninguem é melhor do que ninguém pelo menos nessa vida; Com o tempo a própria vida vai ensinar como viver.
 Mude, cresça, não pelos outros, mas por você mesma. Lute, continue, acredite, não se renda tão facilmente aos obstáculos impostos pela sociedade, quando você quer, sonha e acredita verdadeiramente, seus sonhos podem se tornar realidade. Não abaixe a cabeça em uma derrota, saiba ser humilde e se desculpar nas horas certas. Saiba agradecer a todos aqueles que te ajudaram a chegar onde você está agora. Nunca deixe que os pensamentos ou as palavras de pessoas alheias te prejudiquem, o que realmente importa é a opinião daqueles que te amam, afinal são eles que sabem dos seus segredos e que te aturam o tempo inteiro e aqueles que te julgam sem conhecer, certamente têm seus argumentos baseados em boatos inventados para te prejudicar.
Todo dia é um novo amanhecer vindo de um novo dia, com novas espectativas e novos objetivos a serem traçados. Cada amanhacer que presencio é sempre o mesmo objetivo, e a mesma espectativa, aquela onde vamos poder sonhar juntos em um lugar onde nada possa nos empedir, o anoitecer chega e eu estou ali com lágrimas percorrendo por toda a minha face apenas sentindo a saudade de alguém que um dia esteve aqui mais hoje não está. Amar se torna pouco, platônico seria o ideal. Você não sabe o que sente, é além de amor, além de todos os sentimentos que um dia foram nomiados, é algo que sua alma florece ao estar bem, e ao estar mal ela corrói, muitas vezes a saída é viver em outro mundo e enxergar tudo com os olhos e não com o coração. Talvez nós juntos sejamos o impossível, mas minha vontade de um dia ser possivel não é apenas um sonho é o que eu almejo de uma realidade. As coisas estão acontecendo, mais de uma coisa pode ter certeza permanece em minha mente. A forma que tiver que acontecer eu não me importo, eu só quero você escondido ou assumido. 
 Rir é correr risco de parecer tolo. Chorar é correr o risco de parecer sentimental. Estender a mão é correr o risco de se envolver. Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu. Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas. Amar é correr o risco de não ser correspondido. Viver é correr o risco de morrer. Confiar é correr o risco de se decepcionar. Tentar é correr o risco de fracassar. Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada. Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada. Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem. Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade. Somente a pessoa que corre riscos é livre.
 As vezes um sorriso falso pode ser um consolo para nós mesmos. As vezes não damos valor aos amigos, aos familiares, as pessoas que amamos, mas quando perdemos, vimos o quanto eles fazem falta. Saudade. Ah! A saudade. Ela dói tanto que as vezes queremos tirar alguém dos nossos pensamentos para ficarmos bem. A solidão pode ser o melhor remédio ou a pior droga, depende do momento. Chorar é como tirar um peso da consciência com as mãos. Ou pode nos render simplesmente mais dor de cabeça ainda. Bom mesmo é amar, sorrir, cantar, viver como se não houvesse amanhã. É andar por ai de cabeça erguida, ser você mesmo. Amar os amigos, fazê-los bem, para que você se sinta bem também.
Por que não escolhemos quem iremos ser quando crescer e sim o futuro nos mostra quem nos tornamos ao crescer? Por que temos desilusões, mas mesmo assim continuamos insistindo naquilo que sabemos que dará certo. Por que não escolhemos em que família pertencer, escolher nossos próprios nomes, algo que é tão nosso, pessoal, mas que foi dado por outra pessoa, até mesmo por alguém fora da família? Por que choramos, se sabemos que o amanhecer é belo, e que as estrelas ainda brilham? Por que temos vontade de gritar quando não se pode, ou quando não é o momento certo? Por que quando uma lágrima quer cair e nós tentamos segurar não dá certo e ela escorre em nossa face? Por que nada é como nós queriamos que fosse? Por que as pessoas não nos compreendem? Por que temos que sempre fazer as coisas certas e nunca pular um pouco as regras da vida? Por que muitas vezes queremos algo que não podemos ter, como o pai melhor do mundo, a mãe mais carinhosa, os irmãos mais legais, aquele amigo que podemos contar tudo e confiar cegamente, aquele namorado perfeito, aquele cachorro que te obedece só de você olhar, aquele amor pela primeira vista, mas que dura para sempre, aquele cabelo lindo que nem o da modelo da capa, aquele sapato “super” que você viu na vitrine, aquela bermuda de cem reais que você viu naquela loja maravilhosa, ou até mudar um pouco nosso jeito de ver a vida? Por que? São tantas perguntas que não caberiam aqui, mas são perguntas que tem uma resposta: se a vida fosse tão fácil ela não seria tão gostosa de viver, seria sem graça “sem sal”, se tudo fosse permitido não fariamos nada escondido, pois “escondido é mais gostoso”, a família seria perfeita, mas quem disse que uma briguinha de vez em quando não é bom? Pois não há ninguém perfeito nesse mundo, nem eu e nem você. Somos todos iguais pessoas com coração, esse que muitas vezes se machuca, se parte e para cicatrizar demora um tempão, mas acaba cicatrizando, fica feridas? Sim, mas feridas que só servem de consolo para poder reelembrar daquilo que nos causou dor, mas que um dia demos a volta por cima e se transformou numa ferida, ferida essa que dá alívio ao nosso ser e alma. Devemos viver essa vida intensamente, sem medo de errar, pois ela esta ai para ser explorada da melhor forma que podemos e que queremos, vamos bater a cabeça? Vamos, mas pensa...se não batessemos tanto nossa cabeça como aprenderiamos aquilo que é nosso dever aprender? Como saberiamos em quem confiar de verdade, qual é a pessoa certa, aquela que te fará feliz para sempre e que estará contigo nos momentos mais difíceis! O amor é um carinha meio doido, mas é aquele que nos ensina a arte de amar, ele machuca? Muito, mas depois quando nos da seu carinho, ele é a melhor coisa que podemos ter nessa vida, você pode ter nada, mas com ele você tem tudo. Ésse é o nosso momento, devemos aproveita-lo da melhor forma possivel, viva cada minuto sa sua vida como se fosse o último, chore ou ria, seja alegre ou seja triste, ame ou odeie, fique ou namore, beije ou abrace, mas o importante é ser feliz. Tenha suas derrotas como uma lição, pra lá na frente você fazer o certo e de cabeça erguida! As lágrimas são feitas para consolar nosso coração, chorar é bom demais, é como se estivesse tirando um peso de nós, algo que esta a nos machucar! Por isso, chore o quanto for preciso, pois só suas lágrimas sabem o motivo de tanta dor. Pensar no futuro é até bom, mas não recomendavel, devemos pensar no agora, fazer tudo o que queremos, da forma que queremos, aonde queremos e não ter o porquê que queremos. Quando for fazer algo não pense muitas vezes, pois quem pensa muito acaba fazendo nada. Não combine e marque nada, faça tudo na hora, quando der “na telha”, esse é o segredo, pois se você combinar ou marcar, nunca acabará dando certo! Viva sem medo de viver!

sábado, 11 de janeiro de 2014

Aprenda a se conheçer

Como é que se faz pra admirar essa pessoa que você vê no espelho?
A sua auto estima afeta diretamente tudo o que voce faz, afeta o seu trabalho, sua vida social, seus estudos.
Com uma boa auto-estima você mudará a forma como lida com seus colegas de trabalho, por exemplo, pois será mais confiante, saberá se colocar, não terá medo de fazer um pedido quando precisar. Se não tiver auto-estima e precisar de um colega para te cobrir no trabalho quando estiver cheio de serviço, seu tom de voz vai ser titubeante, e será possível que seu colega não te atenda justamente por você não conseguir se colocar de forma convincente quanto a sua necessidade.

Conseqüências da auto estima rebaixada

Sem auto-estima voce terá postura de corpo e de voz de uma pessoa sem valor. A consequência a médio e longo prazo é a instalação de um processo depressivo .
Em casa será a mesma coisa, o relacionamento com seu marido (namorado) sem auto estima não permitirá que você mostre o quanto é importante, por exemplo, fazer aquele programa que voce está querendo, ou deixar de fazer aquele programa ele está querendo mas que você não está quer. Quem não tem auto-estima se deixa levar pela vontade dos outros, porque não se gosta e mostra para os outros uma imagem de quem não merece ser gostado nem respeitado.
As suas reações no dia a dia são determinadas para sua auto-estima, se alguém lhe passou a frente na fila e voce não tem auto-estima, voce não conseguirá se posicionar e reclamar.
Se voce não tem auto estima não vai se sentir à vontade na academia quando for uma das poucas que está gordinha, claro que está gordinha, pois as outras pessoas estão lá há mais tempo, mas voce não se dá o direito nem de começar o seu exercício.
Se não tem auto estima não vai conseguir procurar um emprego, pois sua postura nas entrevistas será a de uma pessoa que não acredita que merece o tal emprego, e isso voce faz sem perceber, só se alguém te filmar e mostrar seu comportamento você verá uma pessoa com a postura corporal, facial, e tom de voz de quem não serve para aquele emprego. Como você quer que alguém lhe dê um emprego que nem voce acredita que merece?
Se não tem auto-estima voce vai pra aula (se você for estudante), mas não participa, não faz perguntas, morre de vergonha de ser voce mesmo.
Vai pra festa e não dança, "imagina... quem vai querer ver alguém como voce dançando”. Isso é que se passa na sua cabeça.
Ou seja, a auto estima pode determinar o seu fracasso ou sucesso como pessoa.
Avaliar sua auto estima é a dica pra você se conhecer, e conhecer o seu relacionamento com as outras pessoas também.

Auto estima x Transtornos emocionais

Encontramos questões referentes à auto-estima em toda dificuldade emocional. Se você pensar em cada transtorno emocional, depressão, ansiedade , síndrome do pânico , você verá em cada um destes transtornos a auto estima rebaixada. A falta de auto estima está evolvida em todas as dificuldades emocionais.
O depressivo não gosta de si mesmo, da sua vida, não considera que há nada de tão bom em si mesmo que lhe dê alegria de viver, ou seja, a auto estima está rebaixada.
Abuso de álcool , suicídio , violência, em cada um desses quadros tem auto-estima negativa envolvida.
Uma boa auto estima é extremamente importante pra voce ter uma vida satisfatória, legal, gostosa de ser vivida.

O que é autoestima?

É o julgamento que voce faz de voce mesmo. É autoconfiança, auto-respeito e auto aceitação.
É a auto estima que determina se voce é capaz de dominar os problemas do dia a dia e sua capacidade de se respeitar e fazer valer os seus direitos e suas necessidades .
Auto estima é se sentir confiantemente adequado. É se sentir competente e merecedor .
Não ter auto-estima é se sentir inadequado, se sentir errado diante das pessoas e da vida. É Achar que não é capaz, não é competente, é se sentir errado como ser humano.
Auto estima é privilégio de poucos?
Todo mundo merece ter uma boa auto-estima, ser autoconfiante e ter auto-respeito. Por quê? Porque somos seres pensantes, e a própria capacidade de pensar é prova de que somos competentes, e só o fato de estarmos vivos é prova suficiente de que temos o direito de lutar pela felicidade.
O ideal seria que todos tivéssemos excelente auto-estima. Mas não é a realidade. Muitos se sentem inadequados, sentem medos , insegurança , culpa , um sentimento de não ser “suficiente”.
Muita gente nunca chega a ter uma visão positiva de si mesmo, pois fizeram julgamentos extremistas sobre si, foram severos demais consigo mesmos. Tem gente que consegue ser seu próprio carrasco, nem precisa de outras pessoas pra falarem mal dele, ele mesmo faz isso.
Não conheço ninguém que não seja capaz de desenvolver sua auto-estima, desenvolver a convicção de que é merecedor de viver com felicidade , e aí ter mais autoconfiança , mas inda assim não utiliza esta capacidade, e passa a vida com sentimentos de inferioridade.

Auto estima pra quê?

Quanto maior a auto-estima maior será a capacidade em lidar como os problemas. Quem nunca teve que lidar um rompimento de relacionamentos , com a solidão , com desemprego, com marido agressivo, com filhos que dão trabalho? A pessoa com sua auto-estima em alta conseguirá lidar com isso tudo de forma mais tranqüila.
Quanto mais flexível a pessoa for, mais resistente será à pressão, ao desespero, à derrota. Quanto mais a pessoa se valorizar mais conseguirá superar os problemas da vida.
Quanto maior a auto-estima, mais criativo, e quanto mais criativo mais chance de sucesso. Porque criatividade não serve só pra pintar quadros, serve pra pensar em alternativas pra vida.
Quanto mais você se aprovar mais gente na sua vida vai gostar de voce e mais relações saudáveis terá. Já viram aquela pessoa que todo mundo gosta, parece que atrai gente legal, que a apóia. Ela atrai gente legal porque está legal consigo mesma, porque tem vitalidade, é comunicativa.
Por outro lado, já notaram aquela pessoa que não trata ninguém com respeito, vá lá ver e voce encontra auto-estima negativa nesta pessoa.
Quem não gosta de si pode não saber lidar com as outras pessoas.

Autoconfiança

Auto estima é o que voce pensa sobre voce mesmo, não o que o outro pensa sobre voce.
Por isso auto estima é autoconfiança, é ser você a sua referencia, e não viver sob a referência do outro, do que o outro aprova ou não. Para quem tem boa auto-estima a aprovação do outro é conseqüência.
Pra voce que percebe que precisa melhorar sua auto-estima, pense em fazer sua terapia . Fazer psicoterapia com um psicólogo é igual a fazer regime, ás vezes a pessoa consegue fazer sozinha, mas outras precisam de um profissional, ou como fazer ginástica, voce pode ter alguém que te mostre a forma correta de fazer de fazer os exercícios.

A auto estima nasce com a pessoa?

Não, ela começa a ser construída na infância. Como? Quanto mais voce foi respeitado, amado, valorizado, encorajado a confiar em voce, mais probabilidade de ter construída sua auto-estima.
Você deve estar pensando: "Ahhh entendi porque não tenho auto-estima, a culpa foi dos meus pais que só me cobraram, me julgaram, não acreditaram em mim, e por isso eu sou o que sou, é por isso que tudo dá errado na minha vida, eu não tenho auto-estima porque meus pais não me ajudaram a ter uma".
Voce pode estar certo em parte, os pais podem influenciar mas você pode realizar sua mudanças em você mesmo. Não é certo pensar que está condenado a viver assim para o resto da  vida. Agora voce é adulto, e agora é com voce. Voce pode mudar todo esse quadro de sentimentos de auto-rebaixamento se trabalhar consciente e intencionalmente para isso.
Quando criança sua auto estima podia ser alimentada ou destruída pelos adultos. Mas voce está se construindo a cada dia, e agora a definição está em sua mão. Se ninguém pode respirar por voce, também não pode pensar por voce. Sua cabeça depende dos pensamentos que voce tem hoje, mesmo que idéias de auto-desvalorização tenham entrado em sua mente voce pode retirar isso. Se não está conseguindo sozinho, procure uma ajuda.Para isso existe o psicólogo , pra ser a sua força extra nessa jornada.
Uma vez alguém disse "se voce já leu dois livros de auto-ajuda e continua igual, então está na hora de procurar um psicólogo".

Auto estima interna

Uma coisa é certa, a auto estima deve ser construída dentro de voce. Ela não vem de fora. Voce pode ter pessoas que te amam, mas se voce não se amar não vai nem perceber que existe o amor dessas pessoas. Pode ser admirada pelos seus colegas, mas se voce não se admirar as palavras parecerão vazias, ocas. Voce pode ter uma imagem externa de muita segurança, todo mundo te acha o máximo, mas voce mesmo se achará uma fraude.
Já percebeu que os aplausos dos outros não vão te ajudar na melhoria da auto-estima? Voce ouvirá esses aplausos e pensará “eu engano bem, convenci todo mundo que eu sou bom”. Só não convenceu a voce mesmo.
Procurar auto-estima fora de si mesmo será um trabalho perdido. Estudar para ter um título, um cargo importante, fazer cirurgia plástica, casar, ter um filho, tudo isso vai te alegar por um tempo se voce não fizer por você, se dentro de voce não tiver uma valoração sua. Voce perde tempo e dinheiro procurando autoconfiança em tudo quanto é lugar, menos dentro de voce.
É bobagem considerar que vai melhorar a auto estima ao causar boa impressão para os outros, por exemplo casando porque a sociedade cobra casamento, correndo atrás de promoção, comprando um carro maior, fazer tudo isso para causar boa impressão para os outros. Isso só significa que voce se deixa levar pelo julgamento dos outros.
Se auto estima é confiança em si mesmo, então ninguém vai gerar essa confiança a não ser você mesmo.

Falsa auto estima

Sabe aquela pessoa que parece estar com a auto-estima lá em cima? Pode não se tratar de auto estima verdadeira. Para identificar veja se ela se compara ou compete com os outros. Se ela diz coisas assim “estou feliz porque fui promovido, e consegui antes do meu irmão”. Esta fala denuncia que ele está competindo com outro, isso não é auto-estima verdadeira, é fachada.
Ou, em outro exemplo, a garota que se diz muito feliz com a plástica que fez no nariz, diz que melhorou muito a sua auto-estima, porque agora “ficou mais bonita que as outras garotas do colégio”. Veja que ela está se comparando , isso não é auto-estima, é angustia. Ela está correndo, fugindo do desespero de se sentir pra trás. Não está procurando a felicidade, está fugindo da angustia, e a fuga é sempre desesperadora.
Quem diminui os outros apra se sentir maior não está desfrutando de boa auto-estima.
Tem gente que chama isso de excesso de auto-estima. Eu chamo de excesso auto-engano. Porque a pessoa não está tranqüila com sua conquista, não está simplesmente desfrutando da harmonia do momento, está sofrendo pra ser notado.
Infância
Falamos agora a pouco da influencia da infância na construção, ou destruição de nossa auto-estima. Muitas vezes a gente continua respondendo, agora mesmo sendo adulto, como se fosse aquela garotinha, ou garotinho inseguro, sem direito a nada, de falar, de fazer, de sair e brincar com outras crianças.
Mas tem o que fazer. O que devemos fazer agora é aprender a reestruturar essa criança que todo mundo tem dentro de si. Todo mundo carrega sua infância. Se voce rejeitar essa criança, por medo ou por vergonha, voce vai manter essa criança mal resolvida aprisionada dentro de voce e ela vai te atormentar para o resto da vida.
A criança que sofreu indignações, humilhações merece ser redimida. A criança que cresceu percebendo o mundo como um lugar perigoso, era perigoso se expressar, não tinha vez em casa, estavam sempre gritando com ela, ou a deixando de lado fazendo de conta que ela não estava ali, ou debochando dela, essa criança cresceu e virou um adulto que nem sabe como ou porque, mas está lidando com o mundo que tem agora como se fosse aquele mundo da infância, e isso não é justo pra ele, porque as conseqüências são muito negativas, pra ele em primeiro lugar.

Dicas pra obter mais auto-estima:

A primeira grande dica pra vencer a falta de auto estima é ter consciência . Consciência de quem voce é de verdade, do que voce foi um dia, e do que você é hoje. Voce precisa saber o que fazer saber que comportamentos devem mudar, e se perguntar: suas atitudes são resultado de sua intenção, ou voce continua só reagindo, reagindo ao que tem internamente em sua mente e nem sabe direito o que é... porque não tem consciência de si mesmo.
Ter consciência significa usar adequadamente sua capacidade de pensar, é isso que nos torna humanos, nossa capacidade de raciocinar, de nos conhecermos e agirmos conforme decidimos .
Usar a nossa consciência é sair do automático e passar a escolher. Temos o poder de escolha, podemos ser mais ou menos consciente, depende da nossa escolha.
Tem gente que tenta existir sem pensar , sem se auto avaliar, sem medir conseqüências.
Só existe, levanta da cama de manhã e vai pra vida como se fosse um robô, sem se perceber, sem se sentir.
Auto estima é resultado do que percebemos em nós mesmos, e a cada dia fazemos decisões de conduta, mil escolhas até de nível de consciência, escolhemos entre pensar e não pensar. E com o tempo voce vai estabelecendo que tipo de pessoa voce é. Dependendo da escolha que voce faz, voce estabelece sua integridade como ser humano.
Viver conscientemente significa que voce sabe exatamente as conseqüências de cada ato seu, as boas e as ruins, pra voce e para os outros.
É assumir a responsabilidade pela percepção de cada ato seu.
Ser consciente é estar de corpo e alma em cada coisa que voce faz, se voce tem um trabalho e se interessa nesse serviço, se interessa em ver sua empresa crescer, sente curiosidade em aprender... isso demonstra que voce está consciente do que faz e com certeza sua auto estima é boa. Mas... se voce vai para o trabalho só olhando no relógio contado os minutos pra voltar pra casa, voce não está consciente do seu trabalho, e com certeza a auto estima é muito ruim. A sua auto estima é conseqüência do quanto voce é consciente.
Como identificar a pessoa sem auto estima?
E se voce quer identificar uma pessoa sem auto estima pegue uma que vive dizendo que tem muito azar na vida, já ouviram alguém dizendo que nunca consegue um bom emprego? Olhe se essa pessoa é do tipo que nem entra no escritório e já faz as contas pra ver a hora de sair.
Ou, outro exemplo, é a pessoa que diz que nunca consegue um namorado decente. Vai olhar de perto e veja que essas mulheres sempre tiveram dicas de que cada homem com quem se envolveram não era a pessoa certa, mas ela se deixa enganar e quando vai ver está em outra enrascada. Ou seja, não vive conscientemente e claro não tem auto-estima.
E as pessoas que vivem levando o cano de todo mundo? Se não é na escola, é no trabalho, em todo lugar ela encontra alguém que lhe dá uma rasteira. Essa é aquela que não se dá o trabalho de olhar de frente pra cada uma das pessoas com quem ela convive, essas pessoas vivem levando o cano do mundo, e o pior, ainda se assustam quando levam uma rasteira porque não tem auto-estima.
Na realidade no mundo tem gente legal e gente que não é legal, porque será que algumas pessoas só se envolvem com as que não são legais? Ela não tem auto-estima e conseqüentemente não tem consciência do que está acontecendo a seu redor, e pronto, dali a pouco já estão admiradas porque levaram mais uma rasteira.
Perceberam que viver conscientemente é o que lhe proporciona auto-estima. Pode ser mais cansativo pensar, mas vale à pena. Ser mais racional, raciocinar, observar a vida e aprender com ela. Não ser consciente é fugir da realidade, e a conseqüência é colocar sua auto-estima lá embaixo.

Auto estima x Depressão

Muita gente marca consulta por causa de uma queixa que desaba a vida de qualquer um, a falta de vontade, o desanimo na vida.
Desanimo é medo de enfrentar e assumir os riscos adequados, é fugir para o confortável. Porque tudo na vida envolve algum risco, e quando voce fica assustado demais com a vida, tudo parece muito difícil, dá medo, e claro que a sensação vai ser a de desanimo.
Perceberam que ser consciente é ser independente intelectualmente , é pensar por voce mesmo, e quem pensa por si mesmo, que não se preocupa com o julgamento dos outros, não se preocupa porque está consciente do que faz e pensa, essa pessoa gosta de si mesma, tem auto-estima.
A gente pode, e deve, aprender uns com os outros, mas o importante é o entendimento e não só a repetição do que o outro faz ou pensa.
Quem tem auto-estima, é por conseqüência independente. Já perceberam que as pessoas que mais sofrem com baixa auto estima são as que mais se preocupam como que os outros pensam, quando estão sozinhas são de um jeito, podemos dizer normal, mas na frente dos outros elas travam totalmente, isso é a prova de que se incomodam demais com que pensam dela ou como a julgam. O medo do julgamento do outro é a base da falta de auto-estima.
Outra dica pra você construir sua auto-estima:

Auto aceitação

Quando falta a auto estima falta também a auto aceitação. Se aceitar não significa gostar de tudo o que há em voce, significa ser consciente do que é. Tem gente que, acha que se aceitar tudo em si mesmo, não vai querer mudar. Mas não é assim que funciona. Claro que se aceitando como é, voce pode querer mudar as coisas que não estão funcionado bem. Na realidade voce só muda se conseguir aceitar como é agora, se conseguir ver-se claramente, senão voce nem sabe o que deve ser mudado porque não consegue nem se enxergar.
Quer fazer um teste simples? Olhe-se no espelho de corpo inteiro e fique assim por um tempinho, é possível que voce se sinta desconfortável ao olhar para certas partes, o seu impulso vai ser tirar o olhar, isso é fugir, é repudiar a si mesmo, é não se aceitar, e como alguém poderia mudar essa parte se nem consegue tomar consciência dela? Ou seja, não aceita essa parte.
Aceitar é vivenciar sem negação, você pode querer mudar essa parte, mas só se aceitar que essa parte existe.
Voce não se sente motivado a mudar uma coisa que nega sua existência.
E isso vale pra tudo, não só para aceitar seu corpo.
Por exemplo, voce vai ter que fazer uma exposição do seu trabalho na sala de reunião da empresa, um grupo de pessoas vai estar lá pra te ouvir. E você começa a suar, sente medo e esse medo te faz ficar com vontade de fugir, quer mudar a data, quer colocar alguém no seu lugar, qualquer coisa pra não ter que falar na frente das pessoas. Se voce ficar dizendo pra si mesmo “não fique com medo” não vai adiantar nada, por quê? Porque voce está negando sua emoção, está negando o medo.
Aceite esse medo, aceite que ele existe, e converse com ele. O que ele te diz, o que esse medo diz que pode acontecer? Voce pode se tornar consciente de onde vem esse medo quando ele começou, e vai acabar se conscientizando de que esse medo não tem fundamento, aí sim voce vai vencê-lo.
Mas se voce não aceita-lo, fingir que o medo não existe não vai te levar a lugar nenhum. Quando voce reconhece o medo sua cabeça pára de fazer dele uma catástrofe e o medo deixa de ser seu dono.
Voce fica livre pra ver as pessoa e as situações como elas são. A autoconfiança e o auto-respeito aumentam.
Auto aceitação implica em aceitar seus sentimentos, inclusive os negativos, olhe eles de frente, o que sua insegurança, seu medo, sua raiva estão lhe dizendo, observe e converse com eles, aceite que eles existem e assim voce vai perceber que é mais fácil superar.
Quer ver um exemplo? Tem gente que não tem o pai, a mãe que gostaria de ter, e passa a vida tentando mudar o que não depende dele, é claro que é uma vida infeliz. É uma vida sem aceitação e sem auto-estima.
 

Relacionamento Tóxicos

Relacionamentos tóxicos são aqueles em que um está em desvantagem em relação ao outro. É uma relação marcada não apenas pelo desequilíbrio, mas por uma dinâmica de complementaridade negativa, ou seja, a atitude de um alimenta a atitude do outro, que, por sua vez, retroalimenta a atitude do primeiro e assim por diante, num círculo vicioso.
Uma relação desse tipo é tudo, menos morna. Geralmente, por sua intensidade, faz nos esquecer de quem éramos e como sobrevivíamos antes de sua existência. Mantê-la é exaustivo. Rompê-la parece impossível. 

Você vive um relacionamento tóxico?
A principal pista que um relacionamento tóxico deixa é uma sensação de desconforto quando estamos na presença de alguém ou um certo cansaço físico e/ou mental, logo que nos despedimos dele. Esse incômodo pode aparecer sob a forma de uma agitação interna, uma pontinha de tristeza, a impressão de que algo está errado ou faltando.
Nesse momento você pode estar pensando em alguém que esteja causando esse mal estar em você.   

Tipos tóxicos: 

A life coach Cheryl Richardson classifica as pessoas que sugam a energia alheia em 5 tipos:
  •  O Perdedor: Nada em sua vida dá certo e ele despeja todas as frustrações em você, que se sente culpada de reagir, pois ele já é tão azarado, tadinho...
  • O Carente: Ele não vive sem seu apoio, conselho, dinheiro... A conversa gira em torno dele e você se sente culpada quando não pode atendê-lo imediatamente, afinal, ele só tem você com quem contar porque... Por quê, mesmo? 
  • O Algoz: Humilha, menospreza, repreende e ridiculariza você na frente das pessoas e quer que você acredite que é para o seu bem. E você quase acredita que a errada, a ignorante, a louca é você.
  • O Dono da Verdade: Desafia tudo o que você diz, acha falhas em todos os seus pontos de vista, necessita ter sempre razão. E consegue, porque você, exausta, desiste da discussão.
  • O Fofoqueiro: Nada confiável, fala mal de todo mundo, pelas costas. Todos o traíram, abandonaram, decepcionaram. Pode ter certeza, não importa o que ou quanto você faça; será a próxima.
Tem remédio? 

Se você identificou a existência de um ou mais tipos tóxicos na sua vida, deve estar se perguntando como foi se envolver com ele(s) e o que fazer agora.
É importante saber que é possível modificar uma relação tóxica, tornando-a saudável. Vai depender da boa vontade dos envolvidos. Talvez o outro nem tenha consciência do mal que tem feito a você. 

Mostre que tem limite

Abaixo, deixo uma sugestão de como abordar o assunto com a pessoa que está te fazendo sofrer.

"Em respeito ao nosso relacionamento, eu preciso te falar a verdade. Quando você __________________  (comportamento tóxico), eu me sinto ____________________ (sensação ruim). Você acha que pode parar de agir assim? De que maneira eu posso te ajudar?"

A intenção é deixar clara a sua insatisfação com o comportamento da pessoa. Evite atacar a pessoa em si. Se sentir que nada funciona, considere a possibilidade de se afastar definitivamente, para o bem do outro (que não está evoluindo) e seu próprio.

Você pode e deve fazer 120% para que o relacionamento seja fonte de satisfação e engrandecimento para ambos, mas lembre-se de que não é possível comandar o desejo alheio. O primeiro passo nesse sentido consiste em assumir a sua parcela de responsabilidade por ter atraído e mantido um relacionamento insatisfatório até então.

Aprender a impor limites, a dizer "não", estabelecer critérios elevados de seleção de parceiros são competências  pode ajudá-la a desenvolver e que, além de fundamentais para o aumento da autoestima feminina, são determinantes da qualidade de relacionamentos de qualquer natureza.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Você é uma pérola ou uma ostra em coma?




Dia desses, recebi em minha casa uma de minhas mais queridas amigas. Mais de 30 anos de uma amizade que se tornou irmandade. É minha família também. Amo muito! Conversa vai, lembranças vêm, risos, lágrimas e muitas emoções compartilhadas. Amigos são presentes divinos, posso apostar!

Vivendo uma fase de profundas transformações, saindo de um casamento de 20 anos, dois filhos adolescentes e um sem-fim de medos, ansiedades, desejos e esperanças, ela tem se empenhado em descobrir que tipo de vida quer viver e quanto de felicidade acredita que merece.

E entre uma reflexão e outra, ela me disse:  eu era uma ostra em coma!". Eu arregalei os olhos e me certifiquei de que tinha ouvido bem: "Você era o quê???". E ela repetiu: "Uma ostra em coma!". Caímos na risada. Nunca tinha ouvido essa expressão! "Nossa!", eu comentei, "uma ostra já é fechada. Imagine, então, se estiver em coma...".

E logo em seguida, peguei-me pensativa: quantas vezes eu também já me senti feito ostra em coma... Com a impressão de que qualquer movimento me remeteria à ainda mais medo ou tristeza... Quantas vezes não fui capaz de me defender das ameaças da vida de forma criativa e valiosa... Ao contrário, quantas vezes preferi apenas continuar exatamente como estava, sem arriscar, sem tentar, sem ter fé em mim e na vida?

Para quem não sabe, vale a pena pesquisar: a ostra é um animal curioso e fantástico. Como forma de defesa contra invasores, ela produz algo brilhante, precioso. Trata-se do processo de formação da pérola. E é fascinante. Ou seja, para não se deixar machucar e a fim de amadurecer, a ostra desenvolve uma joia valiosa e rara. Rara porque nem todas as ostras produzem pérolas.

Imagine se nós, diante de uma ameaça, aprendêssemos a criar algo assim, tão belo? Quantas preciosidades produziríamos? Que pérola incrível poderia ser encontrada dentro de nós ao amadurecermos e nos abrir para o mundo?

A boa notícia é que muitas pessoas dão início a um processo tão genuíno de autoconhecimento e percepção de si que, de fato, produzem não apenas uma, mas muitas pérolas internas. Que se tornam raras, autênticas, brilhantes. Tenho acompanhado alguns desses processos ao longo de minha carreira e posso testemunhar o quanto é possível vivenciar fases extremamente dolorosas e, depois de algum tempo - com vontade e muita coragem, com determinação e muito trabalho - abrir-se feito ostra pronta e mostrar-se ao mundo como uma verdadeira joia.

E você? Como tem vivido? Pérola ou ostra em coma? Algum dia, você já se deu conta de que o que parece ruim pode ser a sua grande chance de sair do coma e começar a viver de fato? Que tal iniciar seu processo? Que tal aproveitar as ameaças de sua história para descobrir o que há de mais incrível em você?

Pois essa minha conversa com a minha amiga terminou assim: emocionada, mas cheia de alegria e entusiasmo, ela confessou que se tudo o que sofreu foi o preço que ela tinha de pagar para dar-se conta de si mesma, que ela viveria tudo outra vez. Mas que agora, aberta e disposta a se arriscar, certamente vai se manter atenta e duvida muito que possa entrar em coma novamente...

COMO IDENTIFICAR UM HOMEM PROBLEMÁTICO E SEM AUTOESTIMA

a Pessoas sem autoestima em geral são problemáticas. Ou seja: Tornam-se motivo muito mais de dissabores que de felicidades para aque...